sexta-feira, 19 de outubro de 2007

Museu da Escrita do Sudoeste, Almodôvar

Inaugura hoje, em Almodôvar, o Museu da escrita do Sudoeste.
Bem haja ao Município que conseguiu reconhecer nessas pedras escritas da Idade do Ferro o valor de memória do seu território!

sexta-feira, 12 de outubro de 2007

O projecto Ciência Viva em Estremoz



De acordo com as palavras (que citarei) do site do projecto Ciência Viva, (http://www.estremoz.cienciaviva.pt/)


«A ciência está na base da nossa sociedade que, cada vez mais, é uma sociedade urbana. De acordo com as estimativas das Nações Unidas, mais de 50% da população em 2010 viverá na cidade. Integrar a Ciência no dia-a-dia dessas pessoas será cada vez mais importante para o seu desenvolvimento e sustentabilidade. Ciência na Cidade é um projecto apoiado pela Ciência Viva que visa integrar a ciência na programação cultural das cidades e ao qual já aderiam Évora, Estremoz, Tavira e Guimarães. Em todas elas, o público será convidado a descobrir o desenvolvimento científico e tecnológico ao longo dos tempos presente no património, nas paisagens e até na gastronomia.Ciência na Cidade está em articulação com outras cidades europeias através do projecto ESCITY (Europe, Science & the City), que tem como objectivo a criação de uma estratégia comum de promoção da cultura científica nas cidades».

Assim, veja o site, conheça as boas iniciativas do projecto e, aproveite, vá a Estremoz e Evoramonte ver como o Alentejo tem ainda do melhor que há em Portugal.



quinta-feira, 11 de outubro de 2007

Na Fundação Eugénio d'Almeida, Évora

Em Évora, na Fundação Eugénio d'Almeida, pode ver a exposição «Documento: Projecto: Ficção» do Antena - Programa de Itinerâncias da Fundação Serralves, com trabalhos de Vito Acconci;John Baldessari; Christian Boltanki; Fernando Calhau; Alberto carneiro; Lourdes Castro; Hans-Peter Feldmann; Bruce Nauman; António Palolo, entre outros.


Hoje e amanhã, na mesma Fundação, decorre um colóquio sobre sistemas de inventário de património (móvel e imóvel) , sendo tratados vários exemplos do trabalho desenvolvido em municípios, dioceses e museus.

A Fundação Prates, Ponte de Sôr.

www.cultura-alentejo.pt

quarta-feira, 10 de outubro de 2007

Agenda Cultural - três municípios do Nordeste Alentejano

Castelo de Vide, Marvão e Portalegre têm uma Agenda Cultural comum. Dos passeios pedestres, às exposições e espectáculos há de tudo um pouco e para todos os gostos. Os recintos/receptáculos são também múltiplos e variados, desde Bibliotecas, Centros Culturais a arenas.
Mas, mais importante do que a qualidade das ofertas (que também é igualmente multifacetada ou mesmo demasiado eclética), é o facto de um conjunto de Municípios ter conseguido fazer uma rede, num Portugal tão dado aos fenómenos umbilicais/concelhios.


segunda-feira, 8 de outubro de 2007

o Alentejo aqui tão perto

A Câmara Municipal de Montemor-o-Novo, com o apoio do programa LIFE Natureza, organiza passeios para "Dias Traquilos", onde pode conhecer o seu património histórico e ambiental.


Para mais detalhes veja: dcdj@cm-montemornovo.pt ou http://www.cm-montemornovo.pt/.





O concelho, riquíssimo em Património Megalítico, sabe, a partir desses marcos milenares da paisagem, descobrir novas rotas, como acontecerá no próximio dia 27 de Outubro próximo.
Mas outros passeios se seguirão!

terça-feira, 2 de outubro de 2007

Colóquio Internacional, "O canto a Vozes"




Este colóquio internacional pretende, nas palavras dos seus coordenadores, "criar um espaço de reflexão em torno do canto a vozes, incluindo a música e poesia, em vários contextos europeus".
Com a presença de múltiplos especialistas europeus, Portel é o município anfitrião da iniciativa que conta na organização com a Direcção Regional da Cultura do Alentejo.
Força ao cante da nossa terra e de outros sítios do mundo!

segunda-feira, 1 de outubro de 2007

Mirobriga:o Tempo ao longo do Tempo




Inauguração «Miróbriga, o Tempo ao longo do Tempo»


A exposição que inaugurou, no passado dia 29 de Setembro, no Museu Municipal de Santiago do Cacém, com a colaboração da Direcção Regional da Cultura do Alentejo e do IGESPAR, dedicada à História e Historiografia de Miróbriga: «Miróbriga, o Tempo ao longo do Tempo», pode agora ser vista nas Ruínas de Miróbriga.

Aproveite, visite as ruínas e veja um pouco da sua história e dos que lá passaram e deixe a suas sugestões na nossa árvore de Natal.




Assim, gostaríamos de partilhar convosco os textos dessa mesma exposição, pelo que disponibilizamos os ficheiros respectivos em:

http://mirobriga.drealentejo.pt




Ficha técnica:

Coordenação - Fernanda Vale, Museu Municipal de Santiago do Cacém, C.M.S. Cacém

Textos - Filomena Barata, Direcção Regional da Cultura do Alentejo

Investigação: Filomena Barata; Fernanda Vale; José Matias (C.M.S.Cacém); Gentil Cesário (C.M.S.Cacém)

Grafismo: Pedro Bexiga e José Chainho, Multitude, Santiago do Cacém

Colaboração: Luís Ucha, José Raúl Tiago e Ana Sabino



Agradecimentos: Dra. Madalena Beja da Costa; Dra. Maria do Céu Falcão e Silva; Dra Maria Teresa Falcão Barbosa; Dr. Tiago Falcão e Silva; Família Vasconcellos; Arqtº Francisco Lobo de Vasconcellos; Direcção Regional da Cultura do Alentejo; D. Angela Ataíde; Câmara Municipal de Sines; Museu de Sines; Dr. Manuel Coelho; Arqtº Ricardo Pereira; Dra. Ivone Bento; Dr. José António Falcão; IPPAR/IGESPAR; Biblioteca Pública de Évora; Câmara Municipal de Évora; Posto de Informação Turística - Dr. Francisco Bilou; ; Museu de Évora - Dr. Joaquim Caetano e Dr. António Miguel Alegria; Museu Arqueológico José Monteiro; Dr. João Mendes Rosa; Museu Nacional de Arqueologia - Dr. Luís Raposo; Dra Ana Isabel Palma; Dra Lívia Coito; Presidente da Junta de Freguesia de Santiago do Cacém - Vitor Paulo Barata; Dra Susana Correia; Dr. Lourenço de Almeida; Arqtº Luís Ucha e todos os que nos ajudaram a montar este projecto e esta exposição.

quinta-feira, 27 de setembro de 2007

Visitem-nos em Santiago



Quem disse que, em Santiago do Cacém, não se trabalha bem?
À Fernanda Vale; ao José Matias; ao Gentil Cesário; ao Pedro Bexiga; ao José Chainho e a todos que nos acompanharam, obrigada!
À Ana Sabino, ao José Raúl, mais escondidos, também agradeço pelo entusiasmo e força anímica que tão a tudo. Pelo dia de amanhã que nos vão permitir.

Ao Luís Ucha pelas boas sugestões.

Aos amigos distantes o meu obrigada.

sexta-feira, 14 de setembro de 2007

Miróbriga, o Tempo ao Longo do tempo

A Direcção Regional da Cultura vai aderir às Jornadas Europeias da Cultura, promovidas pelo IGESPAR, através de várias iniciativas.

Assim, pode escolher o Litoral Alentejano para visitar o Sítio Arqueológico de Miróbriga e o Museu Municipal de Santiago do Cacém, no fim de semana de 28 e 29 de Setembro.

Em Miróbriga, no dia 28 de Setembro, pelas 16h, haverá um encontro com o escritor João Aguiar que nos falará da herança romana, o Doutor Filipe Themundo Barata e o Arquitecto Francisco Lobo de Vadconcelos.

A 29 de Sembro, por iniciativa da Câmara Municipal de Santiago do Cacém, no Museu Municipal, vai inaugurar, pelas 16h uma exposição que conta com a colaboração desta Direcção Regional, sobre «Miróbriga: o Tempo ao longo do Tempo - História e Historiografia».

Espero que aproveitem para ver o que se passa no Litoral Alentejano.

sexta-feira, 31 de agosto de 2007

No Museu da Tapeçaria em Portalegre



No Museu da Tapeçaria de Portalegre pode ver a partir de 7 de Setembro a exposição de Niet te Wierik - trabalhos sobre papel.

Aproveite e veja a colecção de tapeçarias, porque vale a pena!

sexta-feira, 24 de agosto de 2007

Se com trigo se pagasse o amor à minha amanda




Quem me dera saber cantar o Alentejo assim!
"Minha mãe tem tudo"
"Dá-me uma pinguinha de água"

domingo, 19 de agosto de 2007

O cante alentejano e Sta Bárbara dos mineiros


Ontem, em Milfontes, houve o 19º encontro de coros alentejanos. Com grande pena dos presentes, Castro Verde não pôde estar.
Mas esteve o Cercal, Odemira, Vila Nova Milfontes e, cantando o Alentejo, esteve ainda a Baixa da Banheira.
O som era mau ... que lástima, mas o cante esteve no ar ... e cantou-se bem.
O mais forte da noite foi a homenagem aos mineiros que desaparecidos no mundo, fruto dos terremotos que assolaram ultimamente algumas regiões, ou de alguns desabamentos, tornou a noite num arrepio ....numa oração geral à força dos homens que na terra lhes descobrem as entranhas. Fantástico, sim!
Pena, sim, o som, que era mau e a pouca gente que assitiu ... porque fado como este ... não há em Portugal!
E que bem que o cante canta o Alentejo que é o seu.

terça-feira, 24 de julho de 2007

Nisa à vista


Já a 27 deste mês, começa a Feira Internacional de Artes Tradicionais em Nisa. Certamente vai encontrar muita cerâmica e, particularmente, aquela das "pedrinhas" quase em vias de extinção.

Também no concelho e limítrofes, pode-se partilhar de inúmeros trilhos para passeios pedestres, para melhor conhecer o património natural (geológico, faunístico e florístico) e cultural do vale do Tejo.

Na Amieira do Tejo, uma das doze vilas da Ordem de Malta, pode ver-se o castelo (se bem que temporariamente encerrado), a Igreja do Calvário e a capela de S. João Baptista.

E pode ainda espreitar-se, já do outro lado do Tejo, o castelo de Belver, em Gavião

O Alentejo também é litoral: Miróbriga, Santiago do Cacém

http://mirobriga.drealentejo.pt.


Pois, o Museu Municipal de Santiago do Cacém tem um espólio documental fabuloso sobre o sítio, principalmente dos trabalhos arqueológicos realizados no decurso do século XX.
E é à historiografia do sítio que pretende dedicar uma exposição, a inaugurar em Setembro próximo. Porque Miróbriga viu cruzar o tempo e o tempo encarregou-se de a ver de distintas formas, desde os nossos André de Resende e Manuel do Cenáculo; ao Marquês de Abrantes, a José Leite de Vadconcelos.
As fotografias e correspondência de Cruz e Silva, fundador do Museu em inícios do século XX, e a de D. Fernando de Almeida valem a pena ver a luz.
E é isso, esse espelho do sítio, que o trabalho que desenvolvemos pretende vir a mostrar.


>

sábado, 14 de julho de 2007

A Fundação António Prates em Ponte de Sôr

Inaugurou ontem em Ponte de Sôr a Fundação António Prates, sedeada numa antiga moagem que foi integralmente recuperada, com uma exposição de arte contemporânea. Não posso falar da coerência da colecção, pois estas ocasiões de festa (e de trabalho para alguns) não nos permitem tão pouco ver com atenção ... No entanto, só para ver o espaço e os quatro belos trabalhos de Helena Almeida com que a exposição começa valeu a pena a viagem. E os espaços exteriores, ao fim de um dia do calor, com bancos e ervas da escolha de Leonel Moura foram uma surpresa fantástica. Claro está, havia muitas (mesmo muitas) obras do Portugal dos setenta em diante. Mas lá voltarei para as ver com um pouco mais de calma do que ontem.
Parabéns a Ponte de Sôr e ao Alentejo!

quinta-feira, 12 de julho de 2007

Périplo ao Alentejo - O Património

O Senhor Presidente da República decidiu, a meu ver muitíssimo bem, chamar a atenção do Património Cultural, como factor identitário e de coesão social, começando pelo Alentejo.
Bem sei, bem sabemos todos que aqui vivemos, como o Alentejo é esta terra quase desértica de gentes, mas tão fértil de vestígios de todas as épocas que o cruzaram desde remotíssimas épocas.

Bem haja tudo o que possa contribuir para chamar a atenção para esse Património e, fundamentalmente, para este território que precisa tanto de quem por ele se interesse.

quinta-feira, 17 de maio de 2007

segunda-feira, 7 de maio de 2007

Medeia, Eurípedes

Aia:
«A infortunada, a ultrajada Medeia declara em altos brados os juramentos, apela para a união das mãos, o mais forte dos penhores; toma os deuses como testemunhas do reconhecimento que recebe de Jasão. Deprimida, sem se alimentar, abandona o corpo às suas dores; consome dias inteiros em pranto desde que conheceu a perfídia do marido; já não alça a vista nem desprende do chão o olhar; parece uma rocha ou uma onda do mar, quando ouve a consolação dos amigos. Todavia, às vezes desvia a cara deslumbrante de alvura e, sozinha, chora o pai amado, a pátria, o palácio que renegou e deixou para seguir o homem que a mantém hoje desprezada.
Sabe, essa infeliz, para seu próprio infortúnio, o que se ganha em renunciar ao solo natal.
(...)
Receio que intente qualquer vingança inesperada. É uma alma violenta, não suporta as afrontas».